quarta-feira, setembro 23, 2020
Siga-nos
A inversão em tempos de pandemia…

Uma reflexão de uma encarregada de educaçãon atual e pertinente. Uma boa leitura para as férias escolares...


De repente o mundo parou e as pessoas foram obrigadas a parar.
Agora havia tempo, tanto tempo que não sabiam o que fazer com ele. O relógio deixou de ser necessário, pois não era importante para controlar as horas, minutos e segundos. De repente a maior parte das pessoas foram obrigadas a mudar de vida. Claro que a mudança é sempre complicada para o ser humano que está “programado”. De repente deixou de saber o que fazer.
Parou tudo!!!
As pessoas começaram a ficar desorientadas no tal tempo, que era muito tempo e que não sabiam o que fazer com ele. Se para os adultos não foi fácil, para as crianças é que não, porque também já têm os seus hábitos incutidos, desde tenra idade e o tempo nunca chegava para nada, nem para brincar.
No meu caso achei por bem explorar coisas novas com a minha filha, como por exemplo ensinar a fazer coisas que não se aprendem na escola. Sim, porque na escola não se aprende tudo! O papel da escola é fundamental e o dos pais também, cada um tem o seu papel e os dois interagem.
Aqui temos uma nova realidade, a escola em casa. Uma realidade que já existiu outrora e agora foi necessária a sua implementação. Sendo assim surge o #“Estudo em Casa
Este #Estudo em Casa” foi uma mudança muito grande para o ensino.
As novas tecnologias vieram dominar a vida das crianças, que não tinham tempo para brincar, e que perdiam muito tempo nos tablets e nos Smartphones. Agora temos a inversão o que era lúdico passou a ser uma necessidade. Se é fácil? Não! Não é, mas é muito benéfico nos laços com a família e a escola. Afinal a distância criou uma aproximação ainda mais “cimentada”.
Os dias passaram a ser em casa, as aulas em casa, os trabalhos em casa, os momentos de diversão também passaram a ser em casa, a catequese em casa, as festas de aniversário em casa. Tudo passou a ser feito em casa, com muita dedicação, esforço e colaboração de todos. Porque um dia um “bichinho invisível” decidiu parar o mundo, um mundo onde o tempo era o que cada um fazia com ele.
Será que as mentalidades vão mudar? Essa resposta cada um tem que decidir e saber a lição a tirar desta nova realidade a que fomos postos à prova.
Mas de certeza que as crianças nunca se vão esquecer que no ano de 2020, ficaram em casa a cumprir o seu papel para a prevenção e controle da covid-19. Se cada um cumprir as suas responsabilidades, todos juntos, vamos ultrapassar esta fase diferente na vida de cada um.
E nada ficou adiado, tudo se viveu!
Isabel Sá
Licenciada em Ensino de Português, pela U.M

Entrar ou Registar-se