segunda-feira, junho 01, 2020
Siga-nos

Biblioteca

Biblioteca

A aluna Ana Luísa Gonçalves, da Turma D do 8.º ano de escolaridade da Escola Básica António Feijó foi a grande vencedora da edição 2020 do Concurso "Uma Aventura… Literária", na modalidade de texto original individual, na categoria destinada a alunos do 3º Ciclo do Ensino Básico. O primeiro lugar foi obtido ex-aequo.
Este concurso é promovido pela Editorial Caminho e os trabalhos vencedores serão publicados numa futura edição da coleção "Uma Aventura", que tem grande aceitação junto do público juvenil em Portugal. Além da publicação, a aluna receberá um cheque livro e a escola será contemplada com um livro brinde surpresa. Todos os alunos participantes receberão diplomas de participação.
Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, consagradas autoras da coleção "Uma Aventura, deixaram a sua mensagem aos participantes em geral, e premiados em particular: “Nos anos anteriores a entrega de prémios na Feira do Livro de Lisboa foi sempre uma festa super animada. E nós tivemos o prazer de conhecer muitos dos nossos leitores, os educadores e professores que os acompanharam, os pais, avós, tios e padrinhos que puderam comparecer. Foi ótimo conversar um pouco e tirar fotografias que guardamos com tanto carinho. Infelizmente este ano, a pandemia impede o nosso encontro com os premiados na Feira do Livro de Lisboa. Por isso aqui estamos para vos abraçar a distância, para desejar que continuem a ler, a escrever e a desenhar cada vez melhor.
Fazemos votos para que no próximo ano voltem a concorrer e seja possível abraçarmo-nos pessoalmente na Feira do Livro de Lisboa.”
Será também este o desejo da Escola, que os alunos continuem a revelar a sua criatividade, imaginação e entusiasmo.
Parabéns Ana Luísa e respetiva professora de Português, Teresa Almeida!

Publicamos o texto vencedor:

Uma aventura na época dos Descobrimentos

Olá! Eu sou o Adolfo Cascais Monteiro e hoje vou contar a minha história. Eu nasci em 1480, nos arredores de Lisboa, numa família humilde. Durante a minha infância, passava horas no Restelo, junto ao Tejo, a ver as naus partir. Eu era, nessa altura, um miúdo sonhador, que imaginava como poderia ser divertido partir numa expedição de descoberta e aventura.
- Um dia hei de viajar num destes barcos e viver grandes aventuras – pensava eu.
Quando completei dezoito anos, esse momento chegou! Fui chamado para participar na viagem de Vasco da Gama à Índia. Eu nem queria acreditar!
No dia seguinte, apresentei-me no cais para dar início à viagem. A nau em que eu ia era enorme, podia levar duzentas pessoas. Era um navio oval, com três mastros e duas velas. Dentro do barco foi-me apresentada a tripulação: capitão, piloto, mestre, muitos marinheiros e ainda mais grumetes. Eu fui informado de que era um grumete, cargo que era atribuído a pessoas que vinham de famílias com menos dinheiro.
- Não era bem no convés que queria viajar, mas sempre posso percorrer o barco – murmurei eu.
- Ainda não te disseram? Nós nunca saímos daqui, a nossa função é lançar os cabos e limpar – apressou-se a dizer outro grumete.
- Como, vamos passar o tempo todo aqui? Eu queria subir ao mastro e conhecer a cabine.
- Nem penses, amigo! Mas também não terias tempo para isso!
A nossa conversa foi interrompida quando se aproximou o mestre para nos dar as tarefas. A minha era molhar o convés para que a madeira não secasse.
Durante muito tempo, trabalhei duro, porém estava tão curioso que tive de sair do convés. Era de noite, por isso, havia menos gente a trabalhar. Sorrateiro, lá fui eu… Já tinha visto quase tudo, só faltava encontrar o lugar onde guardavam a comida. Finalmente cheguei ao porão, onde havia biscoitos, pão, cereais, frutos secos, peixe fresco… Ia eu abrir uma porta, quando, de repente, o capitão apareceu. Como ele ainda não me tinha descoberto, e eu não queria um castigo, abri a porta para fugir. Pensava eu que conseguia esconder-me, mas estava lá um marinheiro de vigia para que não houvesse nenhum roubo. Mal eu entrei, este deu-me com uma frigideira na cabeça e eu desmaiei…
Quando acordei, vi que estava preso ao mastro, todavia, fingi estar desmaiado para descobrir o que me pretendiam fazer. Mal ouvi dizer que ia passar grande parte da viagem de castigo e a pão e água, fiquei apavorado e só pensei em fugir. Lembrei-me de ter visto uma canoa e, nessa mesma noite, consegui libertar-me, e fui pé ante pé procurá-la para não apanhar um castigo ainda maior. Quando me aproximava, ouvi uns passos. Então depressa retirei as cordas que a prendiam e lancei-a ao mar. Meti-me dentro dela onde passei bastante tempo à deriva no mar, até que, quando estava a desanimar e sem esperanças, avistei terra. Parecia uma miragem! Remei com toda a minha força para lá chegar.
Quando finalmente alcancei terra, apanhei alguns frutos exóticos para comer e maravilhei-me com a beleza da paisagem. Pareceu-me ver uns indivíduos pintados e nus, mas não liguei, pensei que fosse da minha imaginação devido ao cansaço. Passados alguns dias, avistei, ao longe, uma nau. Pensei que me tinham descoberto e, por isso, escondi-me. Quando os marinheiros chegaram a terra, apercebi-me de que não eram marinheiros da minha nau, mas que pertenciam à nau de Pedro Álvares Cabral. Ainda pensei dizer que tinha sido o primeiro a chegar às “Terras de Vera Cruz”, contudo, ninguém acreditaria em mim, por isso escondi-me nessa nau e voltei a Portugal.
Espero que quem leia a minha história acredite em mim e me ajude a divulgá-la, mesmo que eu já não esteja cá.

Biblioteca

Uma das ofertas da nossa biblioteca escolar que mais procura regista, junto de docentes (e alunos) do 2º e 3º CEB, é a Biblioteca à La Carte. Os responsáveis pela Biblioteca Escolar, pretendendo continuar com o programa de ofertas "À la Carte", colocaram no terreno uma nova modalidade, especialmente vocacionada para Ensino a Distânciad (E@D), nesta fase em que os alunos e professores trabalham a partir de suas casas.
No blogue da Biblioteca Escolar, os alunos, e mesmo os mais graúdos, podem encontrar tudo o que é necessário para participarem num divertido e instrutivo passatempo

Clica aqui e entra no mundo da Biblioteca à La Carte E@D.

Biblioteca

No dia 22 de abril faz 50 anos que esta efeméride foi criada.
Este ano, porque não podemos comemorar a data com as habituais atividades de exterior, uma prática enraizada nas nossas escolas, a biblioteca escolar junta-se às várias iniciativas já em curso no país e no mundo, e propõe um passatempo aos alunos.
Fizemos uma seleção de LIVROS VERDES, onde as grandes protagonistas são as árvores.

A maioria destas obras "mora" nas nossas bibliotecas escolares, e é, portanto, possível que as conheças. Já fizeram parte de algumas atividades e projetos, como a Árvore das Histórias, e uma delas (O Moleiro e as três Árvores) já foi trabalhada em contexto de visita da sua autora, a nossa amiga Conceição Vicente.

O passatempo que propomos não pressupõe, contudo, que conheças os textos. Aliás, terás de "fazer de conta" que nunca viste estes livros. O desafio tem apenas por base as capas e contracapas das obras selecionadas, e põe à prova a tua imaginação.

  • deves vestir-te de "detetive" de capas e contracapas, observar muito bem estes elementos paratextuais, e tomar algumas notas: não te esqueças que tudo conta (título, ilustração, autor, ilustrador, editora, sinopses...).
  • e agora, com os elementos que recolheste, vais tentar estabelecer ligações entre eles de modo a criares, também tu, uma história verde, ou até um Livro Verde. Não tenhas medo de OUSAR. A tua criatividade valorizada.

    - Podes criar uma narrativa, um poema, ou até um dicionário literário (os textos não têm limite de palavras, e, na biblioteca já aprendemos a construir microcontos!).

    Podes também, se te sentires com vontade, construir uma capa e uma contracapa para o teu "livro verde" (não é obrigatório).

  • Envia o teu trabalho diretamente para a biblioteca, para o e-mail profluciabarros@agvaf, ou para o teu professor de português (ou professor titular de turma) que o fará chegar até nós, até ao dia 4 de maio. Não te esqueças de te identificar.

    O júri será composto por elementos da equipa docente BE, e terá em conta os seguintes critérios:
    - Presença de elementos de todas as obras;
    - Originalidade;
    - Correção;
    Todos os trabalhos serão divulgados e o melhor receberá um dos livros desta seleção.

Procura aqui os livros...

Biblioteca

O trabalho incansável das nossas voluntárias da leitura, a Susana Corvas e a Marília Malheiro, continua na modalidade de ensino à distância, tendo-se adaptado (e muito bem!) à atual situação de isolamento social.
As nossas voluntárias, que no presente ano vinham desenvolvendo o seu trabalho na EB de Trovela, continuam a LER para os nossos alunos. A Susana criou uma plataforma digital, onde partilha leituras e propostas de atividades: LEITORES DO FUTURO, um espaço que serve também de "diário da voluntária de leitura".
A colaboração das voluntárias da leitura estende-se agora não apenas aos alunos que acompanhavam, mas também às turmas dos respetivos filhos, e ainda a todos os outros que as queiram acompanhar.
Aproveitando o confinamento, a Susana e a Marília têm passado ainda mais tempo a ler com os seus filhos, experimentando estratégias que depois partilham com os colegas de turma, e com os colegas dos colegas... Um desses momentos teve por base O Maluquinho da Bola, de Luísa Ducla Soares e Pedro Leitão, e aconteceu em casa da Marília e do Duarte. Outro desses (divertidos) momentos aconteceu em casa da Susana e da Juliana, e teve por base O Livro com Fome, de André Machado e Catarina Furtado.
As nossas voluntárias da leitura continuam, deste modo, ligadas aos nossos alunos, aos nossos docentes e às nossas famílias, através dos livros e das maravilhas da leitura...
Há histórias para plantar, para costurar, para dobrar, para abrir de par em par... E ideias é o que não faltam às nossas voluntárias, a quem a biblioteca escolar agradece tão preciosa colaboração.
Se quiserem contactar a Susana ou a Marília, poderão fazê-lo através das suas páginas de facebook ou da biblioteca escolar (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.).
A biblioteca continua convosco.
Até já!

Biblioteca

A Biblioteca Escolar, no seguimento das orientações da Rede de Bibliotecas Escolares para esta fase de isolamento social, e no âmbito dos projetos em curso no agrupamento, continuará o seu serviço de apoio à atividade docente, aos alunos e às famílias.
No caso das BE António Feijó, são implementadas as seguintes ações:
I) a utilização do formulário de contacto criado no âmbito do Gabinete de Aconselhamento de Leituras, para qualquer questão relativa à BE, devendo a informação ser dada, institucionalmente, aos docentes e encarregados de educação.
II) a integração, na página da BE, de conteúdos alusivos aos recursos em linha, direcionados para os diferentes ciclos ou áreas curriculares, e posterior partilha na página do agrupamento;
III) elaboração e disponibilização, na página web da BE, de roteiros de atividades, que privilegiem o livro e a leitura, nas suas diferentes vertentes;
No que ao apoio à família diz respeito, e tendo em conta a tradição de trabalho do agrupamento nesse domínio, desde o dia 18 de março, que têm sido apresentadas, diariamente (em dias letivos), no blogue Educação Literária na Família (https://educacaoliterarianafamilia.blogspot.com/), sugestões de leituras disponíveis on-line, acompanhadas de propostas de atividades para serem realizadas em família (#Fique em casa). A iniciativa tem sido bem acolhida por docentes, sobretudo da EPE e 1º CEB, que fazem chegar as sugestões aos Encarregados de Educação, e também pelas próprias famílias, que têm dado retorno, através do envio de trabalhos, das sugestões apresentadas. A iniciativa tem continuidade no terceiro trimestre, revendo-se, contudo, a periodicidade, que deverá passar a ser de 2 a 3 vezes por semana.
Tendo em consideração que a BE desempenha um papel relevante no que respeita à dinamização de atividades decorrentes do tema aglutinador de projetos (Casas do Mundo, no presente ano letivo), e que tais atividades contribuem significativamente para conferir homogeneidade e identidade ao trabalho do agrupamento, a BE procurará continuar a dinamizar algumas das atividades no âmbito do tema aglutinador de projetos, nomeadamente a BIBLIOTECA À LA CARTE À DISTÂNCIA, podendo os docentes continuar a inscrever-se. Paralelamente, serão ainda mantidos concursos como Histórias da Ajudaris e Autores Revelação António Feijó. Toda as informações e conteúdos relativos à BE serão disponibilizados na sua página web (http://bibliotecaantoniofeijo.blogspot.com/), devendo, todavia, ser divulgados através dos canais institucionais.

Entrar ou Registar-se